Em constante mudança…

Não é fácil ter tantos transtornos de humor o tempo inteiro, a gente fica cansado de tanta inconstância e nunca sabe como vai estar no momento seguinte…

Por que estou falando sobre isso agora? Bom, ontem eu li em um blog uma expressão que até então não tinha nem ouvido falar (não citarei a fonte porque a pessoa não deseja ser divulgada, e como respeito e gosto muito da mesma, vamos deixar como está!). Fui lá, “googlei” a palavra e o que eu achei no Mental Help foi o seguinte:

Borderline é um transtorno de personalidade que traz sérias conseqüências para a pessoa, seus familiares e seus amigos próximos. O termo “fronteiriço” não se refere ao limite entre um estado normal e um psicótico. Ele se refere a uma instabilidade constante de humor.

Não é muito freqüente. Nos USA se considera 2% da população, (mas cuidado, geralmente as estatísticas lá são exageradas). Muito mais freqüente em mulheres do que em homens (por isso a página é escrita no feminino).

1) Sintomas (claro que nem todas as Borderline tem todos estes sintomas):

* Medo de abandono: uma necessidade constante, agoniante de nunca se sentirem sozinhas, rejeitadas e sem apoio.

* Dificuldade de administrar emoções

* Impulsividade.

* Instabilidade de humor. As oscilações de humor do DAB ou TAB – Distúrbio ou Transtorno Afetivo Bipolar duram semanas ou meses, mas as Borderline têm oscilações de minutos, horas, dias. Essas oscilações de humor incluem depressões, ataques de ansiedade, irritabilidade, ciúme patológico, hetero- e auto-agressividade. Uma paciente marca a consulta informando que está super deprimida, querendo morrer. No dia seguinte chega à consulta bem humorada, bem vestida, maquiada, vaidosa.

* Comportamento auto-destrutivo (se machucar, se cortar, se queimar). As portadoras de Borderline dizem que se machucam para satisfazer uma necessidade irresistível de sentir dor. Ou porque a dor no corpo “é melhor que a dor na alma”.

* Tentativas de suicídio, mais freqüentemente as de impulso do que as planejadas.

* Mudanças de planos profissionais, de círculos de amizade.

* Problemas de auto-estima. Borderlines se sentem desvalorizadas, incompreendidas, vazias. Não tem uma visão muito objetiva de si mesmos.

* Muito impulsivas: idealizam pessoas recém conhecidas, se apaixonam e desapaixonam de maneira fulminante.

* Desenvolvem admiração e desencanto por alguém muito rapidamente.

* Alta sensibilidade a qualquer sensação de rejeição. Pequenas rejeições provocam grandes tempestades emocionais. Uma pequena viagem de negócios do namorado ou marido pode desencadear uma tempestade emocional completamente desproporcional (acusações de rejeição, de abandono, de não se preocupar com as necessidades dela, de egoísmo, etc.).

* A mistura de idealização por alguém e a extrema sensibilidade às pequenas rejeições que fazem parte de qualquer relacionamento são a receita ideal para relacionamentos conturbados e instáveis, para rompimentos e estabelecimento imediato de novos relacionamentos com as mesmas idealizações.

* Mais raramente, episódios psicóticos (se sentirem observadas, perseguidas, gozadas, comentadas).

Não vou colocar aqui o artigo inteiro porque já ficou técnico demais. =x

Eu achava que poderia ter só depressão e morri de medo de ser bipolar… mas depois que li isso vi que muita coisa se encaixa. Ninguém faz ideia de como ser assim é difícil pra mim! Ninguém faz ideia de que eu não sou assim de propósito!

A época em que mais dou ataque é na TPM, então é claro que todo mundo vive confundindo as coisas, até eu… ¬¬ Mas a partir de ontem eu simplesmente voltarei a me tratar assim que possível. O que eu posso fazer? Não posso sair brigando com todo mundo e nem dar as costas pra não brigar porque todo mundo fica bravo comigo assim mesmo. =x

Advertisements

31 thoughts on “Em constante mudança…

  1. Sem bem do que se trata por que já passei por isso, tenho cicatrizes até hoje, mas com ajuda de remédios estou bem melhor, continua se tratando sim filha, tem todo meu apoio…
    Você sabe dos meus inumeros transtornos
    TOC, TB e o Boderline, é tão ruim você magoar quem ama só por ter dificuldade de controlar os impulsos e acessos de raiva, mudança de humor, mas pode ter certeza que se você procurar ajuda vai conseguir sair dessa, e falo por experiência!

    TE AMO LINDA!

    Gostar

    • Ai, mamis! Chorei agora… de novo neah =x
      Obrigada mesmo! Eu sei que vc é uma das poucas pessoas que eu conheço que entende essas coisas malucas que acontecem comigo.
      Por isso que eu te amo tanto *–*

      Gostar

  2. Tirando as tentativas de suicídio, isso soa como uma mulher perfeitamente normal pra mim.

    Não estou dizendo que seja o caso, mas sinceramente, acho que hoje em dia todo mundo quer um problema mental pra poder se esconder atrás, isso deixa as coisas mais fáceis de serem entendidas, e deixa o mundo “melhor”, com uma sensação de que não é culpa sua, você tem uma condição mental e não pode fazer nada a respeito, os outros tem que te entender e você não precisa mudar.

    Longe de mim dizer que ninguém tem esses tipos de problemas, mas a grande maioria das pessoas que diz/acha que tem, mesmo as diagnosticadas por médicos, geralmente não tem, e só procuram uma desculpa para seus problemas que são sérios, mas que não são condições médicas, e não deveriam ser tratados como tal.

    Gostar

    • “você tem uma condição mental e não pode fazer nada a respeito, os outros tem que te entender e você não precisa mudar”

      Vc está redondamente enganada. O fato de vc ter um problema mental, não quer dizer que vc não possa fazer nada sobre isso. Até em relação à AIDS vc pode fazer alguma coisa!! Com os remédios de hj, vc vive uns 30 anos sem problemas.

      E ao contrário do que vc pensa, os outros não entendem PN. Vc tacar fogo no corpo e ser internada, mas assim que vc sair e tiver uma MINI crise e ARRANHAR (nem cortar!!) os pulsos, vão dizer que vc está fazendo isso pra chamar atenção.

      Tirando as tentativas de suicídio tudo é normal pra vc??

      “depressões, ataques de ansiedade, irritabilidade, ciúme PATOLÓGICO” e não é na TPM. Alías, Borderline não sabe o que é NÃO ESTAR na TPM.

      “episódios psicóticos (se sentirem observadas, perseguidas, gozadas, comentadas).” – insiro aí alucinações. Do tipo começar a falar com os talheres enquanto lava a louça e trocar o copo de lugar porque ele quer ver televisão.

      “Alta sensibilidade a qualquer sensação de rejeição. + Medo de abandono” – seu psiquiatra teve uma EMERGÊNCIA: outro paciente tentou se matar e tá no CTI. Vc tem crise e tenta se matar tb, pq ele desmarcou a consulta e isso significa que ele te odeia. Aliás, o mundo todo te odeia.

      “Desenvolvem admiração e desencanto por alguém muito rapidamente.” – frase piada entre borders: “Te ODEIO. Por favor, não me abandone.”

      “Impulsividade” – raspar a cabeça pq deu vontade, quebrar o espelho pq não precisa de mais de um, dizer pra família que quer que todos morram e apodreçam no Inferno. Não me parece atitudes típicas de mulheres normais.

      Sem ofensa, menina, mas vc tá TOTALMENTE enganada a respeito de “excessos de diagnósticos”. Esse artigo tb, diz que tem 2% nos USA?? Já passei por 4 psiquiatras e as estatísticas são BEM maiores, ainda mais pq nem todo mundo é diagnosticado. A única coisa que pode acontecer, é CONFUNDIR borderline com bipolar, pois os sintomas são parecidos. E tem gente que tem a felicidade de ter essas duas merdas, como é o meu caso.

      “só procuram uma desculpa para seus problemas que são sérios, mas que não são condições médicas, e não deveriam ser tratados como tal”

      Já visitou um hospício?? Quem não tem problemas mentais, não quer fingir que tem. Simplesmente pq não tem. Pq é normal. E pessoas normais sabem resolver seus problemas. Mesmo que precisem de PSICÓLOGOS e até de antidepressivos. Mas de MAIS problemas?? Nunca.

      Gostar

      • OK… eu acho que sei sim.
        O que ele disse me deixou meio triste, mas á opinião dele, entao nao posso fazer nada. Sempre soube que as pessoas que nunca tiveram nada de sério tem essa mania de achar que os outros não podem ter!
        Nunca cheguei a ter episódios tão psicóticos como os seus, mas mesmo assim… Todo mundo diz que não estão falando nada, nem fazendo nada contra mim e ainda acho que estão. Tem sempre alguém pra dizer que só estamos querendo chamar atenção por carência. ¬¬

        Gostar

    • **continua**

      A Aline não colou todos os sintomas, então vamos ao resto, pra saber se são “perfeitamente normais”:

      2) Risco aumentado para:

      * Compras Compulsivas. – isso é SINTOMA no caso de border, mas pode ser uma DOENÇA, em outros casos
      * Sexo de risco. – sem camisinha, com qualquer bêbado, estupros, e vc se cortando e se lavando com álcool depois pq tá com nojo de si mesma.
      * Comer Compulsivo, Bulimia, Anorexia. – NORMAL???
      * Depressão. – POR FAVOR!!! Não seja ignorante (do verbo ignorar, não tô dizendo burra) de achar que depressão é sinônimo de tristeza!!!
      * Distúrbios de Ansiedade. – Uma coisa é ficar ansiosa pela nota no vestibular. Outra bem diferente, é VIVER ansiosa.
      * Abuso de substâncias. – De qq coisa. Álcool, drogas lícitas, ilícitas, comida, perfume, acetona…
      * Transtorno Afetivo Bipolar. – como eu disse, tem gente que tem a felicidade de ter os dois.
      * Outros Transtornos de Personalidade. – Personalidade esquizóide, paranóica, dissocial (dupla personalidade – conheço borders dissociais), histriônica, anancástica e outros que não sei de cabeça.
      * Violência (não só sexual), abusos e abandono, por causa da impulsividade e da falta de crítica para escolher novos parceiros. – Já falei de qq vagabundo bêbado, né??

      NENHUM médico vai diagnosticar alguém com um transtorno tão sério se não for verdade (a menos que ele seja um FDP e receba uns 100 mil, mesmo assim fico na dúvida). Borderline é um transtorno de PERSONALIDADE. E não tem como vc mudar sua personalidade, quem vc é. Vc pode atenuar, tomando uma dúzia de comprimidos por dia e fazendo terapia/análise. Mas NUNCA vai embora. Isso é triste. Isso é uma merda.

      Esse discurso todo é pq sou a autora do blog mencionado pela Aline. E não, não tô afim de me revelar. Sem me revelar já tem gente como vc, que acha que tudo é uma desculpa. Imagina o inferno que seria se todos soubessem??

      Abraços. Novamente, não falei nada para ofender e sim pra informar. Abra sua mente.

      “Dói ter de internar um filho. Às vezes, não há outro jeito” – Ferreira Gullar

      Gostar

      • Eu sabia que como sempre vc deixaria sua opinião muito mais do que sincera por aqui, “Violet”! .-.
        Eu só queria poder atenuar um pouco essa coisa toda pra ver se minha vida melhora um pouco, vc sabe como é complicado. Simplesmente achei que muitos dos sintomas de encaixam e que talvez devesse procurar uma opinião especializada dessa vez, sei lá…
        Demorei muito pra botar pra fora essas coisas, mas achei que estava na hora. Isso não quer dizer que estou tentando chamar atenção e sim mostrar que essas coisas existem e não devem ser ignoradas.
        É sempre muito bom ter vc por aqui!
        Beijos

        Gostar

        • Acho sim que vc deve procurar um profissional.

          Se vier ao Rio, sei de dois muito bons.

          Bjos!!

          Gostar

  3. Todo tipo de comportamento pode ser mudado com esforço, se você tem a capacidade de detectar eles, o que já é um passo muito importante, não tem porque “se tratar” porque você não está doente. Se você se policiar e tentar se corrigir sempre que possível, vai “melhorar” aos poucos até eliminar completamente o comportamento que você não quer na sua vida.

    Gostar

    • “Todo tipo de comportamento pode ser mudado com esforço”

      Não é um “comportamento” é um DISTÚRBIO de PERSONALIDADE.

      “não tem porque “se tratar” porque você não está doente”

      É pra rir, né?? Quer dizer que vc tá certo e todos os psiquiatras do mundo errados?? Psiquiatria estuda o quê então??

      Sabe como funciona o cérebro de um bipolar?? As sinapses, etc?? São BEM diferentes de um cérebro normal.

      Não confunda comportamentos auto-destruitivos (esses são os sintomas) com a DOENÇA QUE CAUSA esses comportamentos. INFORME-SE antes de falar qualquer coisa. Sem informação vc não tem opinião, vc fala M sem se preocupar com os outros.

      Gostar

  4. Cara ! eh isso msm oh ! a Andy Lima tem essa padara aew tbm
    na verdade ela tem tudo quando e tipo de transtorno de personalidade tadinha mas sim ela tem isso tbm 😄
    eh era isso que eu queria te falar nakele dia que agente quer eskecer
    bjos

    Gostar

  5. Ah, só mais uma coisa, pq falei tanto em defesa que ficou parecendo sei lá… Mas pra esclarecer: NÃO SOU COITADINHA!! ODEIOOOOO quem sente peninha!!! Quem tem pena é um monte de galinha pra mim, quero mais é que vá pro abate!!!!!!

    Gostar

    • Não acho que seja!
      Apenas fala sobre os seus problemas, isso é normal.
      Coitadinho é aquele que se faz de vítima pra chamar atenção somente, sem ajudar ninguem a saber como são as coisas.

      Gostar

  6. Pois é, né! Essas “ites”, “ias”, e outras terminações são mesmo… intermináveis. :p
    O jeito é tentar se controlar, e identificar e admitir quando se precisa de tratamento.
    E claro, manter-se quilometricamente longe de facas e outros objetos cortantes e pontiagudos, bem como outros meios perigosos para a vida própria ou alheia. #piadinhainevitavel :p

    E não esqueça, quando precisar, pode contar comigo. 😉
    bjuxx*
    loveU

    Gostar

    • Eu sei que longe ou perto sempre vai haver um jeito de contar com vc e agradeço demais por isso.
      Quanto a manter distância dos objetos pontiagudos seria mais pelo bem alheio do que pelo meu! u.ú

      Gostar

  7. Olha, eu leio seu blog de vez em quando e acho bacana, mas agora você exagerou.

    Não estou diminuindo o sofrimento de quem possui personalidade boderline. É um transtorno terrível, terrível mesmo, assim como todos os transtornos psiquiátricos que, ainda hoje, são considerados como “preguiça” ou “falta do que fazer”. Não é assim, e essa ignorância piora – e muito! – quem já sofre com esses desequilíbrios mentais.

    E também não estou desconsiderando o seu sofrimento. Só que você é nova. Só que o sofrimento é parte de ser quem a gente é. Só que qualquer pessoa que possui um transtorno possui essas coisas todas aí que você escreveu de um modo extremo. Não dá de ler essas coisas e se encaixar, porque, supresa, QUALQUER pessoa se excaixa em diversos diagnósticos! Esses sintomas são da vida, Aline. O sofrimento existe, o humor flutuante existe, a instabilidade existe; tem gente que sabe lidar e tem gente que não sabe. Se você não sabe, procure sim um tratamento, um psicólogo de uma abordagem que se encaixe com a sua visão de vida. Se você tiver algo, é o psicólogo que vai dizer, e não um site na internet.

    E, especialmente: sei que o blog é seu e tudo mais, mas você também tem uma responsabilidade com quem o lê. Ainda mais: você quer ser psicóloga. Comece a pensar de um modo mais amplo – ser psicóloga é ter responsabilidade. É ser ética. É pensar antes de escrever. E é se informar CORRETAMENTE antes de passar a informação.

    É só um toque, não estou criticando. Parabéns pelo blog, e espero que você goste do curso que escolheu.

    Gostar

    • Só porque farei Psicologia não quer dizer que deixarei de lado os conflitos que tenho e não falar sobre eles!
      Ter ética profissional é nao falar sobre os problemas dos pacientes, já os meus posso fazer o que quiser com eles.
      O único motivo pra eu dizer esse tipo de coisa por aqui é que, apesar de opiniões contrárias como a sua, existem pessoas que entendem.
      Eu me encaixo nos em grande parte dos sintomas da doença e de certo modo me sinto bem por SABER o que eu tenho. Não é fácil se olhar quando tem certos tipos de problema e achar que está ficando louca e que não tem conserto!
      A minha responsabilidade com quem lê o blog se baseia no fato de que eu posso querer informar A QUALQUER HORA sobre coisas que li, vi e/ou vivenciei em algum momento. É preciso deixar que as pessoas sabem que isso existe e não esconder!
      Mesmo assim obrigada pela opinião!

      Gostar

  8. Opa, pera ai! Não foi atoa que comecei o comentário com “Não estou dizendo que seja o caso” e depois ainda reiterei com “Longe de mim dizer que ninguém tem esses tipos de problemas”. De forma alguma eu acho que todas as pessoas são como eu descrevi e que não existem problemas mentais, muito longe disso. Quanto a mudar comportamentos, é claro que eu me refiro a uma pessoa normal. Com certeza vc me entendeu mal, longe de mim criticar quem tem um problema mental, até porque já tive depressão e sei que as coisas simplesmente ficam fora de controle. O que eu critiquei é que muita gente que não tem esse tipo de problema, acaba se informando mal, achando que tem, e se comportando como se tivesse por acomodação. Então se você de fato tem um problema, nada do que eu disse se aplica a você.

    Quantos aos diagnósticos errados: Existem muitos médicos pilantras e sem vergonhas e você deve saber disso, quando eu tive meu problema e pedi uma indicação de um psiquiatra para outro médico, ele me disse que não ia indicar por que “psiquiatra é muito complicado de indicar”. O cara não conhecia nenhum que fosse honesto, que não estivesse disposto a me entupir de remédios e me deixar apodrecer dentro da minha própria mente, o psiquiatra sabe muito bem que se você não melhorar ele terá um “bom” cliente pelo resto da vida.

    Essa é uma cruz pesada de mais para se carregar assim tão fácil. Se você nunca foi a o médico nem pense que pode estar com isso. Se você foi a um médico e ele te disse que você tem isso, vá a outro, ou a outros dois, daí então você pode acreditar que deu esse azar infeliz. Antes disso, tente todo o resto, porque esses medicamentos pesados devem ser vistos não como uma solução mágica, mas como um amargo último recurso.

    Digo mais uma vez: se você tem um distúrbio diagnosticado, o que eu disse não foi pra você. Entendo perfeitamente que quem tem esse tipo de problema não consegue se controlar e acho muito triste que as pessoas achem que você está apenas querendo chamar atenção quando tem crises, eu tive a sorte de ter uma família que me apoiou em cada segundo, mesmo quando estive pior e fiz coisas que eu definitivamente preferia esquecer. Espere que a sua um dia te entenda.

    Gostar

  9. Ps.: Me desculpe se eu me espressei mal, achei que tivesse ficado claro no comentário que eu me referia a quem NÃO tem o problema comprovadamente diagnosticado.

    Gostar

    • Acho que entendi o que quis dizer, realmente existem pessoas que forçam situações e médicos não confiáveis.
      O que eu coloquei no post são características que EU tenho, tanto que não coloquei todas! Ainda não diagnostiquei nada, mas sempre que coloco algo do tipo fico pensando em tentar ajudar as pessoas a saberem que essas coisas existem e não podem ser ignoradas.

      Gostar

  10. Pra mim o post ficou ótimo e bem claro, só achei necessário esclarecer por causa dos comentários da outra menina. Não foi atoa que dei os parabéns lá em cima, hehe.

    Gostar

  11. Encontrei blog hj num dia de desespero, foi muito util, vou procurar um medico. Andava desconfiada que tinha transtorno bipolar (até cheguei pensar que não era nada além de frescura), mas lendo o seu post cheguei a conclusão de que preciso mesmo de um médico para me dar o diagnóstico correto. Me identifiquei perfeitamente em todos os sintomas ( menos no de sexo de alto risco, mas tenho alteraçao sexual sim só nao é com qualquer um). Tenho tido oscilaçoes frequentes, e nao consigo e controlar, nao quero magoar as pessoas que amo por isso vou procurar ajuda essa semana ainda

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s