Fraquezas…

Esqueci de dizer da outra vez que a Anne chamava o diário dela de Kitty! Ela escrevia como se fossem cartas pra alguma amiga que nunca teve. É que como pretendo escrever trechos, pode ser que não a cite.

Quinta-feira, 6 de julho de 1944

Querida Kitty,

Sinto o coração apertado quando Peter fala em ser criminoso ou jogador, mais tarde; embora fale por brincadeira, tenho a impressão de que ele teme a própria fraqueza. Já ouvi muitas vezes de Margot e Peter: ‘Se eu fosse forte e corajosa como você, se eu fosse persistente, se insistisse no que quero, então…!’

Será uma qualidade boa a de não me deixar influenciar? Será certo seguir exclusivamente a própria consciência?

Sabe, não consigo meter na cabeça como alguém pode dizer: ‘Sou fraco’ e continuar assim. Afinal, se reconhece a fraqueza, por que não lutar contra ela, por que não treinar o caráter? Sabe qual foi a resposta? ‘Porque é muito mais fácil’. Fiquei decepcionada. Fácil? Quer dizer que uma vida inútil e falsa é vida fácil? Não me conformo, isso não pode ser verdade, não deve ser verdade, as pessoas podem facilmente ser tentadas pela inatividade e… pelo dinheiro.

Durante muito tempo pensei na resposta que a daria a Peter para fazer com que ele passe a acreditar em si mesmo e, acima de tudo, tente melhorar. Entretato, não se se a linha do meu pensamento é certa ou não.

(…) Como posso tornar claro pra ele que o que lhe parece fácil e atraente o levará a abismos, abismos onde não encontrará consolo, amigos, nem beleza, abismos onde é quase sempre impossível as pessoas se reerguerem? (…)

Sua Anne”

Cá está novamente Anne Frank nos fazendo pensar… Será que vale mesmo a pena se acomodar e não tentar mudar as coisas que nos fazem sentir fracos e impotentes diante das nossas vidas? Se, de acordo com o que ela disse, sabemos dessa fraqueza, por que não mudar? Mesmo que seja difícil conseguir, tentar pelo menos nos faz sair do estágio inicial! Não faz mal colocar um pezinho pra frente de cada vez. Ninguém pode se apoiar na coragem nos outros a vida inteira…

4 thoughts on “Fraquezas…

  1. Nunca lí Anne Frank mas pelo que você tem falado, buscarei saber sobre…
    E particularmente a ultima frase da sua postagem revela um peso gigante da reflexão que eu tirei desse texto…

    “Ninguém pode se apoiar na coragem nos outros a vida inteira…”

    Gostar

    • Descobri a pouco tempo que, mesmo sem querer, não andava com as minhas próprias pernas. Me apoiei demais em forças alheias, com medo de não fazer as coisas do jeito certo.
      Acho que vc ainda se lembra que eu não sei andar sozinha, que muitas vezes dependi de vc pra fazer as coisas. No último sacode que vc me deu, percebi que dá pra eu andar com minhas pernas de vez em quando, só pra começar. Obrigada por isso!!!

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s