Resenha: A Última Música – Nicholas Sparks

Título: A Última Música
Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Publicação: 2010

Verônica Miller teve sua vida virada de cabeça para baixo quando seus pais se divorciaram e seu pai se mudou de Nova Iorque para Wilmington Beach. Três anos depois, ela continua zangada e alienada em relação aos seus pais, especialmente seu pai… até que sua mãe decide que seria melhor para todo mundo se Ronnie e seu irmão, Jonah, passassem o verão em Wilmington Beach. O pai de Ronnie, pianista e ex-professor, vive uma vida tranquila na cidade de praia, imerso na criação de um vitral para a igreja local.
O conto se transforma em uma história inesquecível sobre o amor em suas diversas formas — o primeiro amor, o amor entre pai e filho — que mostra, de uma forma que só um romance de Nicholas Sparks é capaz, as diversas formas que um relacionamento pode quebrar nossos corações… e curá-los.

O Nicholas Sparks ama mesmo a Carolina do Norte, sempre a usa como cenário. Parece ser um lugar lindo, mas não para uma garota revoltada que está sendo obrigada a ir pra lá. Some isso a fogos, tartarugas marinhas, sol, praia, um amor inesquecível e a busca de um pai por encontrar o significado de Deus. Ah, não podemos esquecer da janela de vitral da Igreja do pastor Harris! Imagina se eu não ia lembrar de uma coisa dessas…

No meio disso, tem um cara que é o estereótipo do mal encarado e, muito possivelmente, psicopata, Marcus. Dois idiotas que fazem tudo o que ele manda, Teddy e Lance. E uma garota possivelmente linda, pelo menos a imagino assim, que está insegura com a vida e segue Marcus feito um cachorrinho, Galadriel – ou Blaze.

E tem o cara mais fofo do mundo que toda garota, ou quase, gostaria de ter. Bonito forte, jogador de vôlei “barra” mecânico “barra” voluntário em causas ambientais – *suspiro* – e rico, Will. Ele tem um amigo, que muitas vezes não é tão amigo assim, Scott. Uma ex chata que fica empatando a vida do cara fecha o pacote.

Finalmente, temos o pai. Steve é um cara maravilhoso, mas que cometeu alguns erros na vida. A sua paixão pelo piano era compartilhada por Ronnie, mas agora ela não pode nem ouvir falar. Seu irmão mais novo, Jonah, de 10 anos, ama o pai e é extremamente inteligente e tagarela… parece a minha irmã. e_e

O livro me fez ficar pensando no meu pai, que não vejo há uns 15 anos, não sei o que pode acontecer. Eu tinha sonhado com um cara na noite anterior, que representava meu pai (#freudexplica), antes de decidir pegar o livro no armário , ir para o trabalho e lê-lo. Mas não sabia que a história era sobre isso, nem li a sinopse antes de comprar. Chame isso do que quiser!

Assim como parece ser em todos os livros do Nicholas, você pode esperar uma grande paixão, totalmente inesquecível e alguma espécie de perda. Mas A Última Música soou diferente pra mim – só percebi o trocadilho agora, nem foi de propósito! Consegui imaginar mais coisas e sentir o ambiente melhor do que em Noites de Tormenta, talvez por causa do tamanho do livro e das cenas mais externas. Mais uma vez “me disseram” que a gente precisa aproveitar ao máximo a companhia das pessoas que amamos, seja quem for, antes que seja tarde (talvez eu devesse ter lido isso antes…). E uma coisa interessante, pensei até na Brenda, a busca por Deus, tentar ouvir suas palavras e perceber que estão em cada momento que vivemos.

“A vida, entendeu, era bem parecida com uma música.
No começo, há mistério, e no final confirmação, mas é no meio que reside a emoção e faz com que a coisa toda valha a pena.”

Advertisements

8 thoughts on “Resenha: A Última Música – Nicholas Sparks

  1. Faz Lavagem Cerebral mesmo criatura*O*
    Já sabia a História por causa do filme,
    mas com você explicando assim o livro da até vontade de
    ler, sério.
    Acho o Nicholas Sparks tipo, o tio mais fodão HAHA’
    História pra mim ter que ser cômica ou trágica
    e ele sempre consegue me fazer chorar w.w

    Gostar

    • HUAHAUahuaahuahau me faz morrer de rir, criatura! *-*
      Eu nao vi o filme ainda, mas foi de propósito. .-.
      O Nick é perfeito memu ;D

      Gostar

  2. Bem, o único livro do Nicholas que eu li foi esse, por influências das minhas irmãs, haha. Eu gostei muuuuito dele, ficava atentando a Brunna pra ela me contar logo o final, e ela só dizia pra eu terminar de ler 😦 MINHA IRMÃ É MÁ! haha brinks. Enfim, quase chorei no fim da história, me segurei. Por tudo o que as minhas irmãs falam, os livros dele devem ser mesmo muito perfeitos. Vou pedir outro livro dele pra ler logo, logo. 🙂
    Ah, o teu resumo da história ficou muito bom! bjs

    Gostar

  3. Poxa nem li esse livro!
    Mas to desejando ler ele *.*, a história é linda! Deve ser muito envolvente e emocionante.
    E esse seu sonho, eu chamo de “Visão do futuro”… eu acredito porque isso acontece comigo – eu quando sonho com uma coisa acaba acontecendo mesmo sem antes ter pensando, isso é às vezes… Deus dá essa “prévia” para nós, =).
    Palavras belas do trecho do livro! Beijos!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s