E de repente eu tenho medo

arma-de-fogo-casimiro-de-abreu

De uma hora para outra estou com medo de andar sozinha à noite. Medo do que pode acontecer se estiver no lugar errado, na hora errada e/ou com as pessoas erradas. E sei que daqui pra frente pode ficar cada vez pior.

Uma noite eu estava despreocupada, andando com meu namorado e um amigo, e começo a ver muitas pessoas vindo para o centro num dia usual (estava indo no sentido contrário, já voltando para casa). E de repente descubro que uma pessoa morreu com não sei quantos tiros. O outro levou um tiro nas partes íntimas (e ainda tentaram terminar o serviço dentro do hospital uns dias depois). Em seguida fico sabendo que um colega meu levou um tiro… Tudo por causa das porcarias das dívidas de drogas. Todos na mesma noite e o quadro “evoluindo” durante a semana.

Dizem que esse tipo de coisa acontece para dar o exemplo, mesmo quando o chefe do tráfico fica sem receber, mas ainda penso que o método mafioso de quebrar as pernas pode ser mais efetivo, afinal o cara ainda recebe o dinheiro. Não precisa sair matando ninguém. Obviamente ninguém concorda comigo.

E agora fico com medo de sair de casa e acabar acontecendo algo comigo por ver uma cena sem querer. Tenho medo dos meus colegas que fazem besteira por aí acabarem batendo as botas por sua própria burrice. Tenho medo quando meu namorado sai pra trabalhar de madrugada.

Na mesma semana em que aconteceu o fato, alguns lugares foram assaltados, todos querendo pagar logo suas dívidas para não ter o mesmo fim. Dei graças a Deus no dia em que desisti de ir ao supermercado logo após sair do serviço. Vi a porta de um escritório de advocacia estilhaçada no chão logo de manhã, no caminho que faço todos os dias para o trabalho, até conhecia uma das associadas.

Mas o pior de tudo foi a noite em que eu e ouvi tiros… tiros perto demais da minha casa, logo após a meia noite no meio da semana, algum tempo depois do acontecido. Os estampidos e os ecos, sete de cada. Duas armas diferentes, segundo o Pedro. Em seguida o arranque de uma moto qualquer. Talvez a duas ruas de distância, não mais que isso. E fiquei sem saber o que fazer desde então.

A pacificação das favelas/comunidades/whatever do Rio de Janeiro trouxe todos os idiotas pra cá. Estou feliz por eles lá, mas não creio que o método da polícia tenha sido tão efetivo já que agora estão todos vindo para o interior. Uma cidade pequena na qual nunca sequer imaginei que fosse ter medo de viver e andar por aí, mesmo tarde da noite. Tenho medo até de ficar sozinha em casa.

E o que fazer agora? É diferente quando não acontece com você, muito mais tenso quando o seu calo começa a apertar. Porque eu posso estar um dia simplesmente andando por aí e ser abordada por alguém e perder muito mais do que bolsa, carteira ou celular…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s