Resenha Dupla: A Fada + O Inverno das Fadas (Carolina Munhóz)

[Essa resenha deveria ter saído na segunda, mas como tive alguns imprevistos isso não aconteceu. Espero poder cumprir meus prazos corretamente no futuro.]

É a primeira vez que eu publico uma resenha dupla, a meu ver uma não poderia sair sem a outra, e logo vocês poderão entender o por quê.

A_FADA_CAROLINA_MUNHOZTítulo: A Fada
Autora: Carolina Munhóz
Editora: Novo Século
Publicação: 2011

Existem mais duas edições, uma anterior e uma posterior , já pela Editora Casa da Palavra onde ela está publicando agora, de modo que não sei se houveram alterações de texto. (Essa é uma habilidade de pesquisa que preciso desenvolver para dar certas informações, por isso vou me abster de opinião.)

A_FADA_CAROLINA_MUNHOZ_EDIÇÕES

Sinopse:

Alguns jovens ganham presentes caros, passagens aéreas ou festas surpresa em seus aniversários de 18 anos. Melanie Aine ganhou o falecimento do pai, uma estranha tatuagem e a descoberta de que não era um ser humano. Como se tudo isso não fosse suficiente, Melanie ainda descobriu, por detrás da enevoada e mística cidade de Londres, um mundo fantástico que até poderia ignorar, se não fosse parte importante dele. Um legado que traz com ele diversas tragédias e problemas pessoais ao qual ela não espera se adaptar, mas não sabe se terá opção. A única parte recompensadora parece ser seu encontro com um homem misterioso, oriundo de uma família bruxa poderosa, cuja relação caminha em uma linha bamba e tênue que separa afeto e fúria. Um afeto que pode levá-la à transcendência e à vida eterna. Uma fúria que pode conduzi-la a morte e ao esquecimento. Dentre muitos feitiços, lutas, criaturas mágicas e eventos sobrenaturais, A Fada é uma história de descobertas e superações, sobre como o amor pode fazer várias pessoas redescobrirem a vida e a magia nela. “Uma história repleta de magia e espiritualidade. Uma candidata a seguir os passos de Alexandra Ardonetto e Cassandra Clare.” Revista Época.

Por algum motivo tenho o pé atrás com autores de fantasia brasileiros, é um mercado relativamente novo no país e muitos caem nos clichês da literatura estrangeira tentando fazer sucesso, mas não conseguem. Como fadas é um tema da literatura ao qual não estou habituada, pensei que valia a pena dar uma chance pra esse livro logo de cara, até pra começar a ler mais livros da terra mãe.

Me decepcionei. Não curto romances açucarados demais, a não ser quando o tema é esse e já esperasse por isso desde o início. Ficou meio deficiente justamente no quesito fadas, porque ela começou muito bem mostrando o universo feérico e imaginei que ela fosse me dar mais detalhes… Ela se focou muito mais no romance e nos conflitos internos da Mel amando um humano.

Melanie Aine (¬¬) descobre que é fada aos 18 anos, perde o pai e sua mãe parte, deixando-a sozinha para cumprir sua missão – que ela nem sabe qual é e passa um tempão tentando descobrir. Só que não é uma jornada de auto-conhecimento interessante, pelo menos não toda ela. Senti muita falta de mais, porque o livro é meio curto também.

O final, porém, foi algo melhor do que eu poderia imaginar diante de tanto açúcar. O destino dela sofre uma reviravolta enorme pra ela ficar com seu amor verdadeiro e dar um futuro para o mundo das fadas. O que foi bem legal, no final das contas. Mas do resto, gostei muito pouco.

AGORA, PRESTE ATENÇÃO NISSO PORQUE É MUITO IMPORTANTE!

O_INVERNO_DAS_FADAS_CAROLINA_MUNHOZTítulo: O Inverno das Fadas
Autora: Carolina Munhóz
Editora: Casa da Palavra
Publicação: 2012

Sinopse:

EXISTEM PESSOAS NORMAIS em nosso planeta. Homens e mulheres simples que nascem e morrem sem deixar uma marca muito grande ou mesmo significativa na humanidade. Mas existem outros que possuem talentos inexplicáveis. Um brilho próprio capaz de tocar gerações. Como eles conseguem ter esses dons? De onde vem a inspiração para criar trabalho maravilhosos? São cantores com vozes de anjos, artistas com mãos de criadores e escritores imortais. Existe uma explicação para isso. Sophia é uma Leanan Sídhe, uma fada-amante, considerada musa para humanos talentosos. Ela é capaz de seduzir e inspirar um homem a escrever um best-seller ou criar uma canção para se tornar um hit mundial. A fada dá o poder para que a pessoa se torne uma estrela, um verdadeiro ícone, ao mesmo tempo em que se aproveita da energia do escolhido para alimentar-se. Causando loucura. E MORTE.

Eu queria muito ler esse livro (assim como quis ler o outro, pena que não deu certo), até votei na escolha da capa na época do lançamento. E vocês não podem imaginar o que aconteceu.

Sabe o que é você mudar quase completamente de opinião sobre uma escritora de um livro pra outro? Foi isso que aconteceu. A Carolina melhorou muito mesmo e dou graças aos deuses por isso. Ela me deu, finalmente, os detalhes que eu buscava sobre o mundo das fadas. Teve muito romance sim, mas foi muito mais evoluído e bem escrito. A única coisa para reclamar foram algumas palavras que ela repete muito no decorrer do texto (coisa que me irrita e tento evitar nos meus próprios), nada muito sério.

Li nos agradecimentos (no final do livro) que a Carolina largou tudo pra se dedicar e escrever O Inverno das Fadas. Ela deve ter feito muito mais pesquisas e obviamente deu resultados, mostrando que merece o espaço que vai passar a ocupar na fantasia brasileira.

O livro se passa muitos anos depois de A Fada, em outra parte do mundo feérico. O romance é todo focado em Sophia, uma Leanan Sídhe – um tipo de fada sedutora que se “recarrega” através de relacionamentos com humanos relacionados às artes. Ela tem o potencial de transformar cantores, atores, pintores e escritores nos melhores de sua época, mas tudo isso tem um preço, eles morrem cedo. Sophia, no entanto, apesar do apelo egoísta dos romances a que se entregou durante sua existência, não está tão feliz com sua condição. E isso pode ter algo a ver com o fato de ela ter sido gerada através de uma paixão entre um Elfo e uma Leanan.

E um belo dia ela conhece William Bass, a partir disso, qualquer coisa que eu disser pode ser spoiler, mas o fato é que eles se apaixonam e isso tem tudo pra dar merda. No meio desse romance todo ela apresenta outras partes do mundo das fadas que não estavam em seu primeiro livro, vários rituais celtas, um pouco de história e por aí vai. Fora as referências óbvias a artistas conhecidos com os quais a Sophia teve romances que deram errado – pros humanos, claro – como Kurt Cobain, Amy Winehouse, Raul Seixas e até Michael Jackson! Enfim, muito melhor que o primeiro, uma grata surpresa que me faz agora esperar por próximos!

5 thoughts on “Resenha Dupla: A Fada + O Inverno das Fadas (Carolina Munhóz)

  1. Passando rapidinho pra dizer que estou adorando ver que tens postado com frequência. Assim que tiver um tempo decente, passo por aqui para ler com calma e comentar. Mas queria deixar essa mensagem só para demonstrar meu contentamento, e dizer que estou aqui torcendo por você, como sua expectadora mais fiel! Te amo!❤

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s