Resenha/Abandono: Lolita (Vladimir Nabokov)

Título: Lolita
Autor: Vladimir Nabokov
Editora: Companhia das Letras
Edição: 2003

Sinopse:

Irreverente e refinado, este é um dos romances mais célebres de todos os tempos. É também uma aventura intelectual que não deixa ninguém indiferente, um relato apaixonado de uma sensualidade alucinada, uma autópsia implacável do modo de vida americano. De um lado, um homem de meia-idade, obsessivo e cínico. De outro, uma garota de doze anos, perversamente ingênua. A química se faz e dá origem a uma obra-prima da literatura do nosso século. ‘Lolita’ é chocante, desafia tabus, escandaliza. O livro foi incorporado ao imaginário coletivo da modernidade, e até o nome da personagem tornou-se um substantivo corrente, provas do alcance e da genialidade do autor.

Para começar eu devo admitir que não sabia no que estava me metendo quando me interessei por esse livro. Apenas é mais um dos clássicos que de tanto as pessoas falaram eu simplesmente quis ler. Uma pessoa não pode viver somente de lançamentos, inclusive essa é uma das birras que eu tenho com alguns adolescentes de hoje em dia (sinto-me como se fosse uma velha caquética escrevendo esse tipo de coisa mas é verdade), eles estão sempre acompanhando a moda, até com a literatura. Não todos, obviamente, porque o universo ainda tem salvação, mas vários deles.

Pois bem, todo mundo já ouviu pelo menos falar de Lolita uma vez na vida, o nome dela está no imaginário geral e já virou até mesmo adjetivo. Um livro que foi publicado em 1955 e está “vivo” até hoje tem o seu valor. Mas tenho a impressão de que eu não estava preparada para o que iria ler. Quando eu via imagens de filmes e comentários, imaginava que ela tivesse uns 15 anos, o pobre homem se apaixonou e daí começou o inferno.

Lolita tinha 12, o homem tinha mais de 40. Ele tornou padrasto dela por interesse em ficar próximo da menina, escrevia diários secretos sobre ela, tecia imensas teias em sua mente para ficar mais perto. Até que um dia tudo deu errado (não vou dizer o que nem como pra não estragar a leitura de ninguém). O livro é contado em primeira pessoa por esse homem, Humbert, de dentro da prisão – porque foi condenado por homicídio. A relação entre Humbert e Lolita é deveras complicada, porque ela é uma menina mimada, cheia de desejos bestas. Ele faz todas as vontades dela para conseguir satisfazer as suas. Mas Lolita não é nenhuma boa menina, ela iniciou seus envolvimentos amorosos/sexuais antes de estar com ele.

A verdade é… não consegui ler o livro todo. Talvez eu venha a fazer isso futuramente, mas não agora, porque não é possível. O livro me deu nojo, entende, não é o tipo de relação que eu gostaria de presenciar. Um dia desses, quando estiver com a cabeça menos cheia de coisas muito mais felizes e pronta pra esse tipo de imersão pode ser que eu volte. Li um resumo da obra a fim de saber se eu estava perdendo tanto quanto imaginava e parece que tem muito mais intensidade pela frente. É preciso estar com uma cabeça fria pra esse tipo de literatura, pelo menos na minha opinião.

E não é que o livro seja ruim de modo algum. Encontrei o exemplar num sebo por R$ 9,90, geralmente ele custa bem mais que isso, então fiquei super feliz porque estava em ótimo estado e ainda por cima é capa dura, mas sem a “jacket”. É um dos livros mais bem escritos que eu já li, Vladimir Nabokov conseguiu fazer Humbert parecer tão apaixonado, devotado e poético no meio de sua confusão mental. Se não fosse pelo tema que é, tenho certeza que daria toda a minha atenção a ele. No entanto, eu comecei a lê-lo há vários meses, depois abandonei pela metade e não tenho previsão de volta. Realmente uma pena.

3 thoughts on “Resenha/Abandono: Lolita (Vladimir Nabokov)

  1. Eu tenho receio de ler esse livro também, acho que você deve imaginar porquê. Mas é engraçado o que esses livros tão bons fazem com a gente, não é? Eu interrompi A Insustentável Leveza do Ser porque o livro mexeu taaanto comigo, que em nome da minha saúde mental precisei parar de fazer parte daquilo! O livro é muito bom, indico muito, mas como você disse também precisa de um certo estado de espírito favorável. Um dia vou terminar de ler, preciso.
    Também lerei Lolite um dia, Alexandre até me deu, aliás me deu esses dois juntos, me pergunto se ele não queria me enlouquecer! hahaha

    Gostar

  2. Bom, eu tenho a idade bem próxima da Lolita, mas eu tenho uma mente bem aberta, e consigo ler esses livros de boa.
    Esse é próximo livro que eu vou comprar.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s