Mamãe&Bebê » O Pai Grávido

alineleal13-pedro-o-pai-grávido

São necessárias duas pessoas pra fazer uma criança, então nada mais justo que o pai participar de todo o processo da gravidez.

Pai não é apenas o sujeito que abre a carteira pra você comprar as coisas que quiser pro enxoval da criança. Não é só o cara que você cutuca de madrugada porque acordou com vontade de comer coxinha. Eu sei que os homens nem sempre são participativos, sempre digo ao Pedro que é raro homens que sintam-se grávidos junto com suas parceiras. Claro que isso se deve à criação que ele teve e eu sempre digo que meu sogro o criou muito bem, mas não se resume a isso. O homem participa da sua gravidez até onde você deixa ele ir.

Eu fui a duas ultras sem o Pedro e me senti muito mal. Na primeira foi quando eu descobri que estava grávida, queria ele lá pra segurar a minha mão e ele não estava. Na segunda, fui com uma amiga mas entrei sozinha e o médico foi um tremendo babaca, me tratando como se eu fosse idiota. Eles olham pra minha cara e acham que eu sou uma adolescente irresponsável que engravidou sem querer. E mesmo se fosse ele não tinha esse direito.

Depois disso eu fui com ele a todas as consultas e ultras, ele teve que dar o jeito dele no trabalho, mas apareceu. Cismou de pagar táxi, mesmo sendo exageradamente mais caro, pra eu viajar mais confortável. Já era o suficiente ter que sair da minha cidade de ônibus, porque não tinha um obstetra disponível aqui.

Ele aguentou meus chiliques – como sempre aguenta, aliás. Me viu chorar na frente do espelho achando que eu estava feia e gorda e disse que eu estava linda. Me ajudou a comprar roupas, comprou coisas gostosas pra eu comer, fez massagem nos meus pé inchados.

Mas acima de tudo, eu quis que ele participasse da escolha de cada coisa que eu comprei pro nosso filho. Não deixei ele de lado como se não soubesse escolher. Isso não se faz. Vejo gente que ignora todas as vontade do pai porque não é ele quem está carregando a criança e não vejo sentido nenhum. Um dia eu fui a uma loja ver um conjunto de bolsas pro bebê (foi uma luta pra achar essa porcaria mais barato) e a mulher ficou me olhando como se eu fosse doida porque falei que precisava ver primeiro com meu marido se a gente ia poder comprar. O conjunto custava mais de R$400, claro que isso faz diferença no orçamento de uma família. Mas não, ela queria que eu aparecesse no dia seguinte com o cartão de crédito dele, porque eram as últimas!!! Ã-hã…

Eu aprendi com o Pedro a tomar decisões em família, se já éramos assim só os dois, imagina se mudaria alguma coisa logo na hora em que começamos a ter filhos!

Vi várias mulheres durante as consultas levando amigas ou indo sozinhas, mas também vi diversos maridos por lá. Alguns por obrigação, infelizmente, porém vi outros interessados realmente na gravidez, fazendo carinho na barriga enorme da esposa, preocupados com o bem estar dela.

A maioria das pessoas diz que o homem só se torna pai quando o bebê nasce, já o Pedro foi deixando cair a ficha junto comigo, a cada imagem distorcida de um bebê escondendo o rosto com as mãos, a cada chute na minha barriga, a cada roupinha que ele ajudou a escolher. E foi lindo ver isso tudo, todas as mulheres deveriam tentar também.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s